sábado, 20 de dezembro de 2008

Pessoa amada

"Afirma-se ter sido feita a seguinte experiência: se amarmos alguém, ou mesmo se estivermos apenas intensamente ocupados com ele, encontramoso seu retrato em quase todos os livros. Sim, ele surge como protagonista e antagonista. Nos contos, romances e novelas, aparece em metamorfoses sempre diferentes. E daqui resulta que a faculdade da fantasia é o dom de inserir no infinitamente pequeno, descobrir em cada intensidade a extensão da sua nova plenitude condensada, em suma, tomar cada imagem como se fosse um leque fechado que só ao desdobrar-se pode tomar fôlego e com a nova dimensão apresentar no seu interior os traços da pessoa amada." (Walter Benjamin, Rua de Sentido Único)

Vejo-te em tudo, ainda, e, quem sabe, para sempre.

Sem comentários: