domingo, 25 de janeiro de 2009

Espelho

" - Se tivesse que resumir este diálogo, podia lembrar uma passagem de O Homem sem Qualidades de Robert Musil, quando Agathe se olha ao espelho e descobre a imagem do seu corpo nu, a revelação de uma forma e uma imagem supreendente: o artista parece estar continuamente à procura de uma surpresa, mas com base na profundidade de um espelho pessoal, onde reencontra formas e figuras conhecidas. É sempre a revelação de uma nudez e de uma sensualidade, que continuam a permanecer inacessíveis a todos, incluindo o próprio. Eis a sua insistência sobre o enigma e sobre a dualidade dos signos, nunca definidos, porque pertencem a um enigma mais amplo. Então, todas as tentativas de resolver o enigma são um constante dirigir do olhar para 'algures', a fim de encontrar um outro 'algures'. Como artista sentes-te constantemente diante deste espelho?
- Penso que sim!..."

(Entrevista de Germano Celant a Julião Sarmento)

Sem comentários: