domingo, 9 de agosto de 2009

Tento...

... escrever e tenho dores, imensas dores no corpo, nos braços, no peito, nas pernas. Alternam a intensidade e frequência. Desligo e ligo o computador. Deito-me e levanto-me. Estico-me e espalho voltarene gel. Telefono ao meu pai. Queixo-me e alarmo uma situação limite. Despeço-me. No fogão, um bife de atum. No prato, uma salada. Um comprimido. As dores diminuem. Resisto e insisto. Vou para o computador. Escrevo um esboço de um texto. Carrego com citações: Rilke, Hatherly, Kaprow, Genet, Deleuze... tenho dores que não passam.

Sem comentários: