sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Esvair

"O tempo, o lugar, a substância, perdiam todos os atributos que nós consideramos como suas fronteiras; a foma era apenas a casca retalhada da substância; a substância esvaía-se num vazio que não era o seu contrário; tempo e eternidade eram uma e a mesma coisa, tal como a água negra que escorre numa toalha inamovível de negra água." (Marguerite Yourcenar, A Obra ao Negro)

A não perder:

@ Galeria Filomena Soares, a exposição de João Pedro Vale, depois de uma longa estadia em Nova Iorque!
Antes, passem pelo Cine Paraíso e vejam o filme do mesmo artista, escrito e realizado por João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira, Hero, Captain and Stranger, dia 10 Novembro, às 21h30!!!

Somos fracos

"Era tal a nossa insufuciência, que bastava apenas tapar duas aberturas estreitíssimas para nos ser vedado o mundo dos sons, e mais duas estreitas passagens para provocar a noite. Viesse uma mordaça oprimir três desses canais, tão próximos uns dos outros que, sem dificuldade, se podem cobrir com a palma de uma mão, e seria o fim deste animal cuja existência depende de um sopro. Esse incómodo invólucro que ele tinha de lavar, de encher, de aquecer à lareira ou sob a pele de um animal morto, de deitar, todas as noites, como quem deita uma criança ou um ancião imbecil, servia, contra si, de refém a toda a natureza e, o que era pior, à sociedade dos homens. Através dessa carne e dessa pele é que ele talvez viesse a sofrer os horrores da tortura; e o depauperamento desses dotes é que viriam a impedi-lo de realizar convenientemente a ideia já esboçada." (Marguerite Yourcenar, A Obra ao Negro)

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Novo:



ADOROOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

Current mood:



Não vou. Fico. Talvez um fim-de-semana. 2009 SUCKS!

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Antes de o dizer...

... já eu o era!
Mas agradecemos a lembrança de sermos quem somos.
(Imagem enviada por L.R., a quem muito agradecemos)

terça-feira, 27 de outubro de 2009

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Decifrar

"Acabamos por nos envaidecer com subentendidos que afinal mudam tudo, como um sinal negativo colocado discretamente à frente de uma soma; esmeramo-nos, neste ou naquele passo, em fazer de uma palavra mais audiciosa o equivalente a uma piscadela de olho, ao levantar da parra, ou ao descer da máscara, logo a seguir reposta, como se nada fosse. Opera-se, então, uma triagem entre os nossos leitores; os parvos acreditam em nós; outros, supondo-nos mais néscios que eles, repudiam-nos; os que ficam, aprendem a desenvencilhar-se no meio do labirinto, a saltar e a contornar o obstáculo da mentira. Muito me surpreenderia que nos textos mais sagrados se nos não deparassem os mesmos subterfúgios. Lido dessa maneira, qualquer livro se torna indecifrável." (Marguerite Youcernar, A Obra ao Negro)

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Current mood:

UNCARTROSE
BRONQUITE ASMÁTICA
WTF

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Current mood:

(Gillian Wearing @ Musée d'Orsay)

Morreu:

Nancy Spero, uma das mais importantes artistas americanas, sobre quem escrevi o meu primeiro texto, publicado numa brochura sobre a artista, em 2003.

“I am speaking of equality, and about a certain kind of power of movement in the world, and yet I am not offering any systematic solutions.”

Em casa...

.. a chuva entra pelas paredes. As dores no braço direito avisam-me a mudança do tempo que se manifesta nas roupas das pessoas que passam por mim, na rua, a caminho do meu café de sempre. Um galão e um pão-de-leite simples, estaladiço por fora e fofo por dentro. Da minha mochila amarela, retiro um caderno de fotocópias de um livro de Panofsky sobre o Barroco, o Cinema e a Rolls Royce, em italiano. Sublinho algumas páginas. Olho para a rua. Levantro-me e pago os habituais 1,80 € + 0,20 € (gorjeta). Avanço e e até à redacção subo, subo, subo, subo, subo... quase sem ar... asma e rinite.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Manifesto Oiticica

A ouvir:


Uma música enviada por um amigo.
Não podia ser mais apropriada.
Vou ficar quietinho.

Ciao!

Dores musculares, cervical e lombar. Rinitie alérgica e asma. Trabalho, trabalho, trabalho... chuva em casa, no quarto e na sala.

AZARRRRRRRRRRRRRRRRRRRR

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

A ouvir:


as músicas do segundo álbum do primeiro grande grupo de música da primeira década do século XXI... I still bet you look good on the dancefloor!

Dor

"Este fantasma, que não nos assombra as existências porque alguém hoje se encarrega sempre de o fechar no quarto dos fundos... é a dor.
De facto, a dor só pode ser para nós, hoje, um fantasma. Não conhecemos a dor. Não queremos conhecê-la, nas sociedades anestesiadas em que vivemos, no mundo ocidental ou ocidentalizado".

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

A culpa é do Verão

Lágrimas amargas...


... ou o poder de uma peruca.

Maleitas

Falta-me o ar. Alergias, rinites, poluição, fumos dos outros. Falta-me o ar. Não durmo. Custa-me a adormecer. Vou morrer. O pescoço preso, os músculos das costas pesam-me no corpo, as dores aparecem e desaparecem. Tiro uma radiografia à coluna (cervical). Na sala de espera, a televisão diz-me que hoje é o dia da dor.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Current mood:



I LOVE PORTUGAL!

Naturezas

"Há naturezas puramente contemplativas e realmente impróprias para a acção, que, no entanto, sob um impulso misterioso e desconhecido, agem por vezes com uma rapidez de que elas próprias se julgariam incapazes." (C. Baudelaire, O Spleen de Paris)

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Oferta...

... da proprietária da pastelaria onde tomo pequeno-almoço e lancho, quase todos os dias.
Uma natureza-morta na minha cozinha...

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Current mood:

Mais ou menos isto!

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Patologia

"A cultura ocidental continua, sem o saber, a manter-se dominada pelo passado e faz recair sobre si a culpa do seu desaparecimento, uma vez que se identifica com tal passado. Daí deriva um quadro cultural e artístico profundamente patológico que se manifesta, por um lado, no sentimento de uma profunda inadequação a si própria que atinge a auto-difamação e a abjecção, e por outro, na incapacidade de se agarrar a algo que seja digno de estima e de admiração".

"Os niilistas (ou cínicos) de hoje não são os herdeiros dos esprit forts e dos dandies dos séculos passados: são melancólicos incapazes de se reciclarem, de se inserirem na nova hierarquia da grandeza". (Mario Perniola, A Arte e a sua Sombra)

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Current mood:

Evento

"(...) desde a antiga Grécia que o sentir estético veio sendo determinado na base duma oposição entre dois modos opostos de conceber a beleza: por um lado, a beleza tem sido pensada como forma, segundo uma perspectiva orientada para a apreciação das obras de arte; por outro, tem sido pensada como evento, segundo uma perspectiva orientada para a experiência da surpresa, da fulguração, de algo de irredutível à calma contemplação das essências racionais."

"(...) verifica-se um evento quando eu, em vez de ficar priosioneiro da oposição entre interior e exterior, entre subjectividade e mundo, encontro uma solução vonstrutiva que me consente colocar de forma positiva num processo que vai além da minha pessoa." (Mario Perniola, A Arte e a sua Sombra)

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Na Gulbenkian...


... a não perder: Jesper Just, artista dinamarquês, residente em Nova Iorque.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Current mood:

(Manet @ Musée d'Orsay)

Grandeza

"'Cada indivíduo é obrigado a enfrentar diariamente situações que dependem de mundos distintos, a saber reconhecê-los e a mostrar-se capaz de lidar com eles'. Mas esta adaptação pode acontecer de duas formas diversas: através de uma acomodação ou mediante um compromisso. Só no segundo caso nos parece existir a tentativa de se encontrar algo que se pareça com o bem comum: a acomodação não passa de um acordo contigente que tem a ver com a conveniência de ambas as partes, sem legitimidade e não universalizável. As recíprocas concessões em que se baseia uma acomodação têm em vista acabar com o conflito sem remontar às motivações segundo as quais se regem as diversas avaliações relacionadas com a grandeza das pessoas, das coisas ou das acções em causa. Só no compromisso a procura de um acordo pode erguer as partes a uma posição acima das contigências e a formular uma justificação pelas próprias palavras, comportamentos e acções. Sem justificação, não é possível qualquer grandeza e qualquer acordo." (Mario Perniola, A Arte e a sua Sombra)

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Current mood:

Tudo muda

"Pois que tudo muda, não só a configuração do mundo, como os produtos de uma natureza buliçosa, cujos movimentos demoram séculos." (Marguerite Yourcenar, A Obra ao Negro)

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Hoje:

Um dia com nuvens. Deitei-me na areia. Não me despi.
Fiquei com frio. Fui-me embora. Comi. Sinto-me gordo.

domingo, 4 de outubro de 2009

Amanhã:

A Pátria... e as comemorações de uma República.

Perder

"Em cada instante, a estrutura da nossa vida vai-se modificando sensivelmente. A pressão do passado aumenta, enquanto as possibilidades do futuro diminuem. O homem sente-se cada vez com menos condições de transformar, com a formação do seu futuro, o sentido da vida. Quando envelhece, não só perde a sensação de liberdade mas, numa certa medida, a própria liberdade. Trata-se, não há dúvida, de uma verdade terrível." (Paul-Louis Landsberg, Ensaio sobre a experiência da morte)

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Apetece-me...

... brincar ao Jogo da Glória!

Luz do quê?

Eu não sou para ser

"A recusa da identidade individual, o tornar-se na e ninguém para poder ser tudo, o mimetismo trazido à identificação completa com o sentir dos outros, representam poderosos dispositivos do conhecimento do mundo e da realidade, para além das experiências inebriantes, excitantes, direi mesmo absolutamente vertiginosas, que, por um lado, permitem uma compreensão profunda dos aspectos muito inquietantes da loucura e, por outro, libertam da tristeza e do desespero de ser-se prisioneiro de uma identidade." (Mario Perniola, A Arte e a sua Sombra)