sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Esvair

"O tempo, o lugar, a substância, perdiam todos os atributos que nós consideramos como suas fronteiras; a foma era apenas a casca retalhada da substância; a substância esvaía-se num vazio que não era o seu contrário; tempo e eternidade eram uma e a mesma coisa, tal como a água negra que escorre numa toalha inamovível de negra água." (Marguerite Yourcenar, A Obra ao Negro)

Sem comentários: