segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Herança:

"O género idílico quase nunca passa de um refúgio para a alma sedenta de quietação a que ainda se poderão acrescentar (...) modos adocicados e uma lânguida moleza." (Hegel, Estética)
Preciso de regressar.

Sem comentários: