terça-feira, 4 de maio de 2010

Respira fundo...

... e atira-te com força. O primeiro esboço já está delineado. A abordagem não é inovadora mas segura. As palavras puxam palavras e as ideias atropelam-se em memórias das experiências que tive. Quero uma faca. Corto os dedos. Aplico um creme regenerador. Crescem outra vez. As unhas têm alicerces profundos, raízes nas entranhas do corpo fodido pela razão assustada pelo abismo. Arranho as palavras. Não bebo leite. O Homem não precisa de leite em idade adulta. Como kiwis e odeio. Muesli misturado no iogurte simples, sem corantes nem conservantes. Um chocolate de leite. Bebo água e mijo muito. Passo o dia a mijar. Tenho dores no braço direito. Escrevo muito sem escrever. No forno, um peixe a assar, temperado com ervas da provença, alho, muito alho, coentro em pó, azeite, vinho branco e duas coves de bruxelas.

Sem comentários: