terça-feira, 4 de maio de 2010

Tornar-se texto

“Nesse 'tornar-se texto' do quadro, compreendemos que o quadro (...) não representa um real, mas um 'simulacro-entre-o-mundo-e-a-linguagem', no qual se baseia toda uma constelação de textos que se recortam e se associam numa leitura do dito quadro, leitura que nunca está terminada. Aquilo que se julgou ser uma simples representação revela-se uma destruição da estrutura representada no jogo infinito das correlações da linguagem.” (Julia Kristeva, História da Linguagem)

Sem comentários: