quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Insuficiência

"Agora sabia distinguir entre dia e noite; sempre soubera, apenas um sonho pesado se atravessara para confundir essas fronteiras, e ele envergonhava-se de ter passado por essas perturbações: mas a lembrança de que as coisas podem ser diferentes, de que existem outras fronteiras mais subtis, facilmente desfocáveis a envolver o ser humano, que há sonhos febris a rondar a alma, corroendo os muros e abrindo caminhos inquietantes - também esta lembrança ficara no mais fundo de si e irradiava sombras pálidas.
Não sabia explicar muitas dessas coisas. Mas a insuficiência das palavras era uma sensação deliciosa, como a certeza do ventre fecundado que já sente no sangue a leve palpitação do futuro." (Robert Musil, As perturbações do pupilo Törless)

Sem comentários: