terça-feira, 3 de agosto de 2010

Morfologia

“A forma é uma noção de poder alquímico e de valor limiar entre o ser e o aparecer. A natureza, a totalidade das formas, é tematizada a partir do eclodir de epifanias locais, através da experiência do aparecimento e desaparecimento de formas, o que expressa simultaneamente a transitoriedade e a transitividade próprias das epifanias locais, do seu desenho no espaço, da sua alteração, e a narrativa que por elas se faz, a narrativa da génese. Aquele que quer conhecer uma forma deve procurar tornar compreensível e partilhável esta reconciliação, esta aprovação entre o que está de passagem e o que permanece”. (Maria Filomena Molder, "Introdução" in Goethe, A Metamorfose das Plantas)

Sem comentários: