quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Estética pantomima

"Por ser pequeno e disforme ansiava pelo desmesurado, pela esmagadora beleza formidável que vence as mesquinhas proporções correntes, e cuja sombra, tal como a de uma grandiosa nuvem, anula tudo o resto. Entre esses colossos eu desapareceria; ninguém daria por mim, porque seríamos todos iguais, perdidos na sua magnitude: eis o que a minha infância conjecturava. Queria perder-me no meio deles, como numa fortaleza de músculos infinitos".

Sem comentários: