terça-feira, 14 de dezembro de 2010

És avant-garde?

"(...) sem banalidade não há vanguarda, uma vez que a vanguarda é esse movimento através do qual um pequeno grupo, uma elite, animada de um projecto novo, rejeita radicalmente o conformismo ambiente, as ideias feitas, as heranças da tradição. A crise das vanguardas não pode em caso algum ter por origem, pois, as oposições com que elas se deparam. Muito pelo contrário, talvez seja a exaustão hoje em dia de uma oposição que tal, a própria ausência de conflito entre os artistas de vanguarda e um público quase inexistente, o que constitui o verdadeiro problema." (Luc Ferry, Homo Aestheticus)

Sem comentários: