quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Ecos

"Em longos ecos, confusos, ao longe,
Numa só tenebrosa e profunda unidade,
Tão vasta como a noite e como a claridade,
Correspondem-se as cores, os aromas e os sons.
(Charles Baudelaire, excerto do poema Correspondências, 1857)

Sem comentários: