quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Eu

“Eu posso assumir-me a mim numa essencial pertença ao outro. Igualmente, eu posso existir como um tu. Como eu, eu não estou incluído apenas na espécie do eu, mas também na espécie do tu, vós, nós” (Martin Heidegger, Lógica. A pergunta pela essência da linguagem)

Sem comentários: